Loading...
Loading...

Sorria: A força através de um gesto simples. E único.

O dia amanheceu sorrindo.

Uma vez li que: “não existe exagero mais belo no mundo do que a gratidão”. É aquilo que todos dizem, que as palavras faltarão para expressar tudo o que sinto. Mas não posso deixar de argumentar algumas coisas:

Há dois anos tomei uma das maiores decisões da vida: me expor. Mostrar ao mundo quem sou e dizer o que passei não foi a escolha mais fácil que fiz. Mas sem dúvidas, arrancou inúmeros sorrisos.

A caminhada ainda está cheia de pedras e, quando me lembro dos primeiros rascunhos, a conquista de escrever e publicar um livro independente, percebo o quanto o meu sorriso amadureceu. A vergonha, o ódio, tristeza e culpa são reais. Os leões existem. Eu os vejo, sinto e ouço – e é isto que mais valorizo, pois hoje sei quem sou.

O Sorria tem se transformado no protesto de algo muito maior. Durante os anos pude acompanhar – e acredito que você também -, o que vêm acontecendo nas mídias sociais e meios de comunicação. O reflexo da humanidade (ou a falta dela) através de posts, comentários e compartilhamentos, permitiu que descobríssemos mais sobre as pessoas. Ainda há neste mundo injustiça e diversas incoerências.

Me pergunto se nos outros (mundos) também há tanta dor. Muitas campanhas e movimentos – e muitos equívocos! Porque falta informação. As pessoas não querem se informar. Talvez prefiram se acomodar em seus achismos e verdades. Não posso ser categórico neste posicionamento, mas é notável o descaso. A falta de sensatez e identidades desvirtuadas.

O e-book não se trata só de uma linguagem; de uma única experiência com o lábio leporino e a fenda palatina. Ou somente minha trajetória. Sua proposta conceitual permitiu conversarmos sobre a manifestação dos sentidos e emoções que todos vivenciamos. A particularidade de cada indivíduo é o que torna as palavras deste projeto tão especial.

São síndromes. E há uma generalização do descuido. A ponderação tornou-se extinta, e esse descaso com o outro virou rotina. É triste pensarmos que não se fala mais em viver. Fala-se em resgatar a vida. A preocupação está no que o outro irá julgar em seus pensamentos, e não em tornar praticável o carinho e atenção. O amor. Interessante me lembrar disto. Durante o ano fui motivado a não viver o padrão. Só que a mídia é desequilibrada quando conversa sobre este tema. Querem que você se expresse, mas quando o faz, há censura e julgamentos por eles mesmos. Contradições. “Você não tem o perfil. Não está dentro do molde que gostaríamos de colocar nas estratégias (para agradar a massa). ” – foi o que ouvi.

É preciso parar de tratar o outro como algo e começar a pensar no que deseja para você mesmo. Vamos desfocar , reajustar e focar novamente. A minha bandeira já foi manchada diversas vezes como a sua, mas lavo, passo e levanto. Continuo seguindo. Não sou mais extraordinário que você e acredito que sua singularidade é muito importante para o meu crescimento.

Você certamente tem mais cicatrizes do que imagina.

Imergir em debates culturais e socioantropológicos trazem ótimas reflexões. É a premissa dialogada no livro.
Sempre irei dizer como se fosse um disco arranhado:

talvez se sentíssemos o que o outro sente, seríamos mais compreensíveis.

Porque existe sim liberdade no meu e no seu sorriso. Ser forte é ser livre. Sempre. Livre das palavras torpes que ouvimos, dos olhares baixos, das risadas maliciosas e do preconceito. Livre de traições que fazemos com nós mesmos; das sabotagens que escondemos. Livre para nos permitir viver.

O lábio leporino não me define. Suas dificuldades não te definem.

Foram anos de redescobertas. Reconstruções. A memória de um sorriso tem sido renovada constantemente. E isto tudo graças ao suporte que recebo daqueles que se identificam com minha história. Obrigado aos amigos e equipe. À todas as comunidades que me acharam através das hashtags e me incentivaram de uma forma tão preciosa em suas colocações. As mensagens que recebo pelo Direct do Instagram e no Facebook têm sido encorajadoras. Vocês resgataram o significado de essência.

Obrigado pela bela experiência até hoje.

Ainda há muitos sorrisos para descobrirmos. Este ano foi um ensaio. Digo que tem sido um laboratório – onde eu mesmo sou o cobaia (haha).
Converse comigo! Conte sua história e vamos crescer juntos. Como compartilhei, ele é um projeto independente, por isso o fiz digital (fui na cara e coragem). Mas quero muito disponibilizá-lo físico e torná-lo mais acessível. Se você trabalha ou conhece alguém na área editorial, entre em contato comigo.

Vamos aos muitos links para você se informar mais:

Se ainda não conhece o “Sorria: a força através de um gesto simples. E único.”, visite a hashtag no Instagram #sorriaolivro e os vídeos teasers no Youtube:
As fotos são pelo fotógrafo Mateus Montoni. Ele ainda está na 1ª edição, então é possível que você observe alguns erros. mas há o projeto de ampliá-lo (torça para que dê certo!). Você pode adquiri-lo em formato .ePub através das livrarias online e ler em seu celular, tablet ou computador:
iBooks Store:https://itun.es/br/Y4wV4.l
Google Play:http://goo.gl/EkH88O
Amazon: http://goo.gl/5YGy55
Livraria Cultura:http://goo.gl/DJwvuV
Kobo: http://goo.gl/YSiZrD

Sempre haverão motivos para sorrir. Continue lendo sobre sorrisos.
E acompanhe o  segundo e-book “A Construção do Olhar”.

#sorriaolivro

 

 

Por onde estou:
Site Pessoal | Blog | Ideia de Marketing | LinkedIn
Instagram @ArthieBarbosa | Twitter @ArthieBarbosa

Leave a Comment